24 de outubro de 2016

Um “farrapo” de pedra e cimento

É capaz de, agora, ser apenas uma inutilidade.
Naquele local, sinto o silêncio das recordações da juventude, quando o trânsito passava longe...
Mas, para quem tem memória, ainda cheira a silêncio... Agora, porém, entrecortado pelo barulho dos carros a passar, ali mesmo ao lado, na variante...
Outrora, fez parte duma triangulação. Isto é, foi um dos vértices de uma superfície terrestre numa rede de triângulos, cujos vértices são pontos (objectos) bem visíveis e fixos, tais como, torres de igrejas, capelas ou doutros edifícios, pirâmides ou marcos geodésicos, chaminés, etc., situados em lugares mais ou menos elevados, de modo que, de cada um, se aviste, pelo menos, dois dos outros.
Servem para medir uma linha geodésica, ou para se efectuar o levantamento da carta de um país ou de uma região.
Já foi útil. Agora, é capaz de ser uma inutilidade.
Ou melhor, um “farrapo” de pedra e cimento na paisagem que mudou.
Que o mesmo é dizer, um “pedaço” de qualquer coisa que já foi.

1 comentário: